• Sinete

    Desde que os princípios de organização social foram se moldando às bases do sedentarismo, o indivíduo foi sentindo o impulso de fazer parte de algo com o qual ele se identificasse. De maneira desorganizada, em essência, até os interesses em comum gerarem grupos, bandos e organizações em geral, buscando um lugar ao sol, mas com algo para se partilhar com os seus semelhantes. Isso é tão tradicional quanto contemporâneo.

    Sinete | westwing.com.br

    Prova disso é a popularidade ainda atual do sinete, peça fundamental da engrenagem de um coletivo, com o qual se faz a identificação de determinado grupo. O sinete é usado desde a Grécia Antiga – que se tem documentado, ao menos – e, atualmente, possui uma variedade ímpar de utilidades, que vão do lacre em envelopes de convites, por exemplo, à assinatura de famílias, com o seu brasão, organizações, empresas e, até mesmo, Estados. Inspire-se com o Westwing na milenar arte do sinete!

    Compre agora com até 70% off:

    As Origens e Utilidades do Sinete

    Utilizado desde tempos memoriais para identificar famílias ou organizações, o sinete é um instrumento metalizado, de ouro ou prata, normalmente, mas com variações de sinete que podem ser feitas em pedra, com um baixo relevo que dá a forma e contorno da gravura desejada.

    Em seguida, cera é aplicada na superfície em que se deseja fixar a figura contida no sinete, e o mesmo é pressionado à cera, fixando o envelope ou assinando determinado documento. Com o tempo, o sinete passou a ser amplamente utilizado por famílias nobres, Estados e coletivos de todos os portes ou objetivos.

    Para os tempos modernos, ele pode ser praticamente extinto da correria do dia a dia, ainda mais com a quantidade cada vez mais impressionante de assinaturas digitais infalíveis e invioláveis, mas, nem por isso, se perdeu no esquecimento para uma série de funções que torna o sinete um instrumento ainda útil, elegante e sofisticado.

    Tipos de Sinete Disponíveis

    O lacre de cera desse item milenar pode se fazer muito útil, ainda nos dias de hoje, trazendo uma complementação de elegância e tradicionalismo ao selo. Durante a história, seja no passado ou presente, o sinete já teve papel crucial em diversos capítulos dela, como:

    Impressão: em geral, o sinete é utilizado para ilustrar e lacrar convites de festividades em geral, como aniversários e casamentos, trazendo mais elegância ao lembrete para os convidados. Emblemas, brasões ou mesmo as iniciais do casal (em casos de festividade matrimoniais) podem ser o mote do sinete, que deixa a sua marca, usualmente, sobre cera escarlate ou dourada.

    Poder: por séculos, o uso do sinete demonstrava o poder de um clã, bando, Estado ou monarquia, valendo-se de um dos mais sagrados símbolos para eles, para que soubessem quem foram e o que faziam – ou ainda fazem. Sociedades exclusivas (as secretas, de outrora), ainda fazem uso dos sinetes.

    Oriente: o lacre de cera já esteve – e ainda está – muito presente na ideologia e filosofia oriental, embora o uso, aqui, envolva materiais diferentes para o sinete, como pedra e bambu, entre outros, e tinta nanquim no lugar de cera.

    Aneis: de famílias a fraternidades e cargos clérigos, como o Papa, por exemplo, carregam sinetes anéis, que já foram muito populares, séculos atrás.

    Tradição e Modernidade

    Inspire-se na história milenar do sinete e busque uma composição harmoniosa para ele na sua vida. Desde o convite para o casamento (tomando cuidado para que ele encontre equilíbrio com o tamanho do envelope) à identificação em anéis ou, ainda, para expor o brasão de sua família ou organização, não faltam motivos ou utilidades para esse instrumento.

    Westwing: O Extraordinário Mundo da Sua Casa!