Casa Grim - Vintage & com afeto

Do dia a dia corporativo ao universo dos móveis vintage. Conheça a história de Tania Grimaldi e saiba como ela começou a restaurar o passado com carinho e afeto.

Tania Grimaldi Casa Grim.

Sobre vazios e evoluções

Depois de dez anos atuando em marketing para o consumo de massa, Tania começou a questionar comportamentos e seu próprio papel na sociedade. A partir daí ela percebeu:

“Todo mundo consome demais, inclusive eu. Se a gente tem excesso de produtos, também descartamos com facilidade. E muitas vezes consumimos assim para suprir um vazio interior. E isso não acontece. A carência continua. Quis trabalhar exatamente essa questão: o que faz falta ? “

Loja Casa Grim em Pinheiros.

A resposta veio por acaso quando uma faixa na rua chamou sua atenção “Família vende tudo”. Ela resolveu entrar para dar uma olhada e se deparou com uma banqueta colonial antiga e deteriorada. Foi com essa peça que Tania descobriu o fascinante caminho da restauração de móveis.

“No começo eu vendia em casa. Encontrei e restaurei 15 móveis, chamei os amigos e fiz um bazar.” Para aprimorar seus conhecimentos, usou a internet e os livros como fontes de aprendizado. Autodidata, hoje está à frente da Casa Grim, uma pequena e adorável loja em Pinheiros, São Paulo.

Onde fazer restauração de móveis.

Restauração de móveis e valor emocional

Mais do que reformar mobiliários, Tania Grimaldi realiza um trabalho que cria vínculos entre as gerações ao valorizar o tempo, perpetuando o objeto que não se torna facilmente descartável. “O móvel de família tem um valor afetivo enorme, independente do seu valor no mercado”.

Funciona assim: o cliente chega em sua loja, conta a história da peça e, a partir dessa primeira conversa, é possível entender os próximos passos. Ela explica:

“Tenho um cuidado muito grande de não deformar e interferir no desenho da peça. Tento ir pela sutileza da transformação e, para isso, preciso entender a quem ela pertenceu, o que significa para a pessoa que quer reformá-la, se tem algo que eu possa fazer para remeter às boas lembranças.”

Móveis vintage restaurados. Móveis anos 60 e 70.

Independentemente do tamanho ou condição do objeto, o importante é se aprofundar em sua trajetória e encontrar o melhor “tratamento”. Com uma equipe especializada e tecidos garimpados, cada artigo é um novo desafio e aventura.

Tecidos garimpados para restauração de móveis.

Um dos casos mais marcantes foi o trio de cadeiras imperiais. Elas vieram ao Brasil com a família real portuguesa. Datadas do século XVIII, chegaram à Casa Grim em péssimo estado: sem os pés e com a estrutura muito frágil.

Cadeiras imperiais restauradas. Cadeiras da família real portuguesa.

Um marceneiro entalhador ajudou a construir três novos pés artesanalmente. Um segundo marceneiro restaurou as cadeiras com um novo acabamento e resgatou o tom original da madeira. O tapeceiro entrou em ação e um lindo veludo cereja tomou conta do estofado. O tecido original da parte de trás foi preservado para guardar a lembrança do passado histórico.

Cadeiras do século XIX restauradas.

Outro desafio estimulante: o sofá que virou par de poltronas! Na etapa estrutural o móvel foi cortado e ganhou laterais iguais as originais. Depois, dispensaram a tinta preta para que o tom da madeira entrasse em cena. No fim, os assentos e encostos receberam tecido e detalhes em botonê vermelho.

Sofá restaurado. Poltronas listradas.

Além de trabalhar estas peças tradicionais que sobrevivem gerações, Tania também vai em busca de mobílias que podem ser revividas com criatividade. O design dos anos 50 e 60, por exemplo, é reinterpretado com muitas cores, detalhes e novas roupagens através do seu trabalho.

“A resposta está muito mais nos vínculos afetivos que os objetos podem trazer. Eles carregam identidade e é importante valorizarmos o que tem história, pois é isso que traduz a nossa própria.”

Móveis vintage. Poltrona vintage. Mesa moderna.

Fotos Fachada da loja e Retrato Tania © Ramanaik Bueno

Priscila Silvério

Já conhece o nosso App?

Baixe agora
Baixe agora