Dois arquitetos, um amor em construção

Quantas afinidades duas almas podem compartilhar? Em quantos momentos seus corações conseguem bater em sintonia? Quantos instantes do dia um casal passa lado a lado em plena harmonia? Estar com Paula Sertório e Victor Paixão faz o infinito parecer possível. São dez anos de relação, muitos interesses em comum e um amor que não dá para calcular.

Paula Sertório e Victor Paixão arquitetos da PAX.

Os gatinhos Espeto e Brasa dividem o apartamento de 70m² com os arquitetos Paula e Victor. Juntos, eles desfrutam de cada espaço do MaxHaus Panamby (São Paulo). Este empreendimento tem como proposta de valor oferecer individualidade e liberdade ao morador. E foi exatamente o conceito que despertou a curiosidade e atraiu a atenção do casal.

Casa com gatos. Decoração contemporânea.
O gatinho espeto relaxa no bowl de Paulo Alves, enquanto Brasa brinca no banco Bombo, desenhado pelo casal

Os dois relembram: “Na época estávamos namorando, não pensávamos em achar um lugar para morar”. Ainda assim, como profissionais da área, resolveram conhecer a ideia. Fugir do convencional, permitir que o cliente ajuste os ambientes conforme suas necessidades e tornar os momentos de mudanças e reformas mais práticos.

Sala com decoração contemporânea. Sala de estar.

É o princípio da arquitetura aberta implementada pela MaxHaus, que entrega “uma página em branco” e flexível para ser repensada com facilidade.

O destino e a liberdade

O conceito, o preço e uma ajudinha do acaso fizeram com que Paula Sertório e Victor Paixão dessem um grande passo e adquirissem o apartamento ainda na planta, antes mesmo de se casarem. Isso foi em maio de 2009 e, um ano depois, ele pediu para ela se tornar sua mulher oficialmente.

“Fizemos o caminho contrário por conta do destino”, conta Paula.

Sala de jantar. Ambientes integrados. Casa de arquitetos.

A partir daí, começaram a experimentar suas ideias no projeto. Victor explica: “Como é feito por nós e para nós, o processo foi mais empírico, deixamos as coisas acontecerem e testamos bastante”. A premissa básica foi não ter paredes, portas e ambientes fechados. A integração era essencial, assim como a valorização da luz natural.

A cozinha serve de cômodo intermediário entre a varanda e a sala de jantar, que também está conectada ao living. A maior divisória que encontramos é entre este espaço e o quarto.

Soluções para ambientes integrados. Caixas de feira na decoração.

Os arquitetos já procuravam algum recurso que garantia a ligação entre os cômodos. As caixas de feira apareceram como mais um acaso. “Hoje é o elemento mais marcante e foi completamente inusitado”, diz a moradora. A solução é resultado de uma instalação realizada ao Boom SP Design. Quando o evento acabou, queriam dar outra história e visualizaram a possibilidade de criar isso no próprio lar.

Arquitetos Victor Paixão e Paula Sertório. Ambientes integrados.
As caixas de feira facilitam a organização ao cumprirem o papel de estante-dupla, uma para a sala e outra para o quarto

Outro ponto curioso do quarto é o armário aberto. Como eles nunca quiseram uma estrutura fixa, adotaram esse visual dinâmico e fácil de mudar. E sabe o que mais não tem portas? O banheiro! Além do lavabo que já vem na arquitetura do MaxHaus, o casal optou por construir uma segunda área de banho com a infraestrutura completa. A banheira feita sob medida, a vista para a Marginal Pinheiros e a atmosfera tranquila oferecem uma paz plena, perfeita para ser desfrutada no final do dia.

Arquitetura aberta. Quarto e banheiro.
Banheiro aberto. Banheiro contemporâneo.

– Esse é o cantinho da Paula, brinca o marido.
Mas depois você também adorou, ela retribui sorrindo.

Mesmo que deem preferência ao banheiro fechado, acharam importante ter um cômodo que valoriza o imóvel e pode se tornar privativo rapidamente, basta uma porta de correr.

Quarto da arquiteta Paula Sertório e Victor Paixão. Quarto minimalista.

“Nem tudo que é bonito funciona”

A frase do arquiteto Victor Paixão é uma dica valiosa para todos que encontram desafios na hora de reformar ou decorar a casa. Para ele, serviu como guia no momento de preencher cada espaço. Primeiro os moradores pensaram o que queriam e isso se resumia em um estilo de vida prático e em uma casa preparada para receber visitas.

Sala de estar e sala de jantar integradas. Biombo. Charles Eames.
Mesa de jantar branca. Cadeiras Charles Eames.

É por isso que ocorreu a decisão de manter um quarto generoso e uma sala ampla, com destaque especial para o sofá.

“Na fase de procurar móveis, a gente saia sábado de manhã às 8h e voltava no final da tarde. Um dia, eu estava tão cansado e sentei nesse sofá… Foi tão bom, mas fiquei em dúvida se era a exaustão falando mais alto. Voltei para a loja no dia seguinte e descobri que ele era super confortável”, lembra Victor.

Sala de estar com sofá cinza. Decoração moderna.

Também fomos conhecer a “varanda mutante”, apelido carinhoso para uma pequena área que cumpre com múltiplas funções. Ela conta com uma lavadora de roupas compacta, uma churrasqueira portátil, um cooler que deixa as bebidas sempre no ponto, uma rede, cadeiras e banquinhos. Ah, e a horta da Paula também está ali! Ou seja, a varanda recebe todas as configurações imagináveis e é aproveitada ao máximo.

Varanda multiuso. Varanda multifuncional. Como aproveitar pequenos espaços.

Viver com o que(m) você ama

Em cada detalhe percebemos que o casal priorizou uma rotina que funcionasse bem e não se limitou com a questão estética. Apreciadores da cultura brasileira e amantes da gastronomia, conseguiram compor e decorar com peças que traduzem seus gostos e paixões. Na cozinha, por exemplo, há poucos eletrodomésticos e muitos livros culinários. Precisa esquentar comida? Esqueça o micro-ondas ou o excesso de conservantes. A dica é esquentar no próprio fogão e aproveitar temperos da hortinha.

Paula Sertório e Victor Paixão em ensaio do fotógrafo Nelson Alves Jr.

Orixás da Bahia, livros queridos, um desenho antigo do bisavô de Victor, caixinhas organizadoras que a mãe de Paula produz, o adorado quadro do argentino Caribé, o banco Bombo que eles desenharam a convite da Ornare com sobras de materiais, a peça artesanal do artista Maarten de Ceulaer… Todos os objetos criam um cenário despretensioso de afeto e belas memórias.

Detalhes decorativos. Peças de decoração.

Talvez você esteja pensando: será que a opinião de um arquiteto não interfere na do outro? Nesse lar não! O casal está à frente do escritório PAX, que se preocupa com as pessoas e acredita nas transformações naturais da inconstância humana, visando um trabalho colaborativo. Paula e Victor já atenderam diversos clientes e explicam que, após viver o desafio de realizar o próprio projeto, seus questionamentos mudaram muito “É um divisor de águas. Agora queremos fazer uma casa nossa, toda a estrutura, viver a experiência em uma nova escala”.

E nós apoiamos, pois o valor do que eles ainda podem construir juntos é incalculável!

Fotos do apartamento e Retrato de Paula e Victor © Ramanik Bueno | Ensaio fotográfico de Paula e Victor cozinhando © Nelson Alves Jr.

Priscila Silvério

Já conhece o nosso App?

Baixe agora
Baixe agora