A garimpeira Madame Lili abre sua casa

Lilly Malta Varella, dona do famoso bar Drosophyla é uma garimpeira nata. Em um rápido giro por sua casa é possível perceber que a paixão por peças especiais se estende à decoração. Pequenas e grandes preciosidades cobertas por histórias preenchem o lar da moradora e nos instigam a desvendar um pouquinho sobre cada uma delas. O universo lúdico de Madame Lili acaba de ser descoberto e você pode conhecê-lo junto com a gente!

Casa de madame Lili

Localizado no bairro Bela Vista, na capital paulista, o apartamento de Lilly fica no 23º andar de um edifício tombado. Como ela mesma diz, o local era como “uma flecha dourada caída do céu”. Quando foi visitá-lo junto com seu marido, o sociólogo Tom Dwyer, em pouquíssimo tempo teve certeza de que aquele era o lugar que seu coração a mandava ficar.

Se passaram 20 anos desde a mudança, mas ela continua falando de sua casa com brilho nos olhos: “Eu adoro morar aqui! Tudo fica muito perto e eu tenho uma vista de 180 graus”.

E que vista! É impossível não se impressionar ao entrar pela sala e dar de cara com três grandes janelas abertas para a cidade. Ela realmente tem um horizonte incrível capaz até de despertar seu lado poético quando fala sobre o assunto: “Minha vista é um mar. Não é de água, e sim de concreto, mas é impactante”.

vista casa de madame lili

Além da paisagem, existem mil e um pontos diferentes da casa que atraem os olhares. É difícil conseguir se concentrar em apenas uma peça tendo por perto tantos objetos com histórias a serem reveladas. Na hora de perguntar sobre elas, deixamos para a moradora falar dos preferidos. Mas é claro que essa tarefa não foi fácil, afinal, todos despertam algo e tem um motivo especial para estarem ali.

“Uma vez estava passeando em uma feira na Av. Tiradentes e no meio dela vi o cavalinho. Fiquei apaixonada e tive que comprá-lo. Tem também o carrinho de bar dos anos 20 que encontrei no bairro do Bixiga e a luminária de hospital que acho linda e nunca vi nada igual para vender. É difícil escolher uma coisa só!”.

detalhes casa de madame Lili

Com aproximadamente 180m², o lar consegue se manter interessante a cada ambiente visitado. Na cozinha, por exemplo, as paredes pintadas, o cacho de banana pendurado e o armário recheado de itens diferentes criam um visual único que tem a cara de Lilly.

cozinha de madame Llili
Café na casa de madame lili

Outro ambiente superinteressante é o banheiro. Lá encontramos milhares de decorativos inusitados que dão graça ao espaço e refletem exatamente o que existe no universo único da moradora. Cada cantinho possui um item curioso e para descobrir sobre todos eles é preciso passar algumas horas lá dentro.

banheiro de madame lili

Em relação às peças garimpadas que são escolhidas para ir para o bar Drosophyla, Lilly explica: “Se eu sentir que o bar precisa de mais coisas, levo algumas para lá. Mas existem artigos muito sensíveis que prefiro deixar aqui em casa. Não por custarem caro, mas pela história que carregam e pelo que despertam dentro de mim”.

coleções de madame lili

A garimpeira também nos conta que adora aproveitar sua sala de estar: “Eu gosto muito de ficar na sala, pois a luz que entra por ela é especial. Fico no sofá lendo meus livros e revistas, refinando as informações. Cada imagem observada ou texto lido me ajudam a abrir a cabeça e pensar em novidades”.

detalhes espalhados pela casa de madame lili

Madame Lili contradiz o famoso conceito de “menos é mais”. Para ela, tudo funciona ao contrário e quanto mais tesouros de outras épocas passadas tiver, mais bonita sua casa estará. Ela diz que a vida tem que ser lúdica, por esse motivo a decoração foge dos padrões comuns, nos surpreendendo a cada piscar de olhos.

cocar na casa de madame lili

Ao ir embora do apartamento, uma frase fica em nossa mente: “Minha casa é meu mundo e nada mais”. Se construir um lugar mágico e curioso era o objetivo, ela conseguiu cumprir sua missão com sucesso!

© Fotos: Mayra Azzi

Bianca Machado

Já conhece o nosso App?

Baixe agora
Baixe agora