Sofá Chesterfield: enigmas de um móvel icônico

Assim como o vestido preto e o colar de pérolas não podem faltar no guarda-roupa feminino, o sofá Chesterfield é um clássico atemporal que sem dúvidas estará sempre presente em casas sofisticadas. Na Revista Westwing você passeia pela história do móvel e fica sabendo como ele virou um ícone no universo dos mobiliários. Confira e apaixone-se pelo estofado queridinho no mundo inteiro.

Sofá Chesterfield

Com um design inconfundível, a peça se caracteriza pelos seus braços curvados, encosto em capitonê e revestimento em couro. O móvel, criado no século XVIII, é um item clássico nas composições britânicas, fazendo com que seja considerado um ícone do Reino Unido.

Sua história é um pouco incerta e cercada por lendas. Uma delas diz que seu desenho foi encomendado pelo quarto Conde de Chesterfield, Philip Stanhope, no século XVIII.  A ideia era desenvolver um item confortável, acolchoado e com uma base sólida. O resultado final teria agradado tanto que o modelo continuou sendo requisitado, mesmo depois de séculos.

Mas a especulação envolvendo o Conde foi desmentida por historiadores. Segundo eles, a técnica de capitonê teria sido inventada somente no século XIX.

Sofá Chesterfield

A primeira aparição do móvel registrada foi em uma ilustração de Frederick Walker datada em 1867. Nela, o artigo aparece no castelo da Rainha Victoria, em meio a móveis vitorianos e papéis de parede florais.

Sofá Chesterfield

Contemporâneo da Rainha Victoria, o psicanalista Sigmund Freud também tem participação na fama do estofado. Acredita-se que o profissional atendia seus pacientes de hipnose sentado em uma poltrona Chesterfield. Por isso, é comum vê-lo retratado em filmes sentado no famoso assento.

Sofá Chesterfield

Apesar de diferentes histórias, sua origem nunca foi comprovada e não há documentos que registrem suas raízes. O relato que atualmente está em vigor é de que o nome Chesterfield originalmente significa sofá e que o estofado foi feito aproximadamente no século XIX.

Mesmo com suas raízes antigas, o que torna o assento um dos preferidos até hoje é sua capacidade de se encaixar nos estilos de decoração mais modernos. Atualmente, a peça empresta suas formas para releituras feitas em diversos materiais, adaptando-se a todos os tipos de moradas e diferentes estilos de decorações.

Camila Nakamura

Já conhece o nosso App?

Baixe agora
Baixe agora