Paulo Mendes da Rocha

Paulo Mendes da Rocha

Compartilhe

WESTWING NA MÍDIA:
Quer saber mais? Leia nosso guia!

Guia Westwing paraPaulo Mendes da Rocha

No dia 25 de Outubro de 1928 nasce Pauto Mendes da Rocha. Com exemplos de família - seu avô dirigiu o serviço de navegação do Rio São Francisco e depois a biblioteca do Rio de Janeiro e seu pai, um renomado engenheiro, se consagrou como professor na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo - ele acreditava no poder do homem interferir na natureza de forma acertada, por este motivo costumava dizer sempre: “a primeira e primordial arquitetura é a geografia”.

Formado em arquitetura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie em 1954, Paulo Mendes da Rocha construiu uma carreira consistente, seguindo os mesmo passos de seu avó e de seu pai. Convidado por João Batista Vilanova Artigas, ambos reestruturaram a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade São Paulo com suas visões humanistas e sociais. O WESTWING faz uma viagem no tempo e traz dicas maravilhosas para você compor seus ambientes.

Estilo Arquitetônico de Paulo Mendes da Rocha

O estilo arquitetônico de Paulo Mendes da Rocha é visto como um fator paradigmático do pensamento estético, caracterizado pela Escola Paulista da arquitetura brasileira. Essa escola, embora sofresse criticas pelo enorme custo econômico e também social, tinha como preocupação um projeto limpo, claro e responsável.

Nas obras de Paulo Mendes da Rocha muitas características como a síntese espacial posta em elementos formais perante a um raciocínio que se tornou a verdade estrutural da arquitetura, se unem exibindo as escolhas do projeto arquitetônico.

Paulo Mendes da Rocha sempre deixou aparente a preocupação com uma arquitetura sintética, limpa, constituída por detalhes examinados minimamente, em uma relação do ser e do espaço, tornando-se tanto íntima quanto monumental. Uma concretização formalista, que procura demonstrar funcionalidade e buscar espaços para incentivar o convívio, seja em uma cidade, em sociedade ou no local construído.

As obras do arquiteto Paulo Mendes da Rocha acabaram por caracterizar-se por uma rigidez direta no território, pois ele sempre dizia que “o domínio do sitio, seja através da mudança da topografia, de sua completa redefinição ou mesmo de uma mera ação sobre os fluxos de circulação do entorno, é um elemento fundamental na expressão do domínio e da integração do homem sobre e com a natureza”.

Prêmios de Paulo Mendes da Rocha

Paulo Mendes da Rocha teve inúmeras de suas obras consagradas em concursos públicos e também é o responsável pelo projeto do Pavilhão Oficial do Brasil na Expo 70, no Japão, em Osaka. Além disso, foi um dos finalistas premiados no concurso para o anteprojeto do Centro Cultural Georges Pompidou, em Paris, reestruturou o Museu Brasileiro da Escultura – MUBE em São Paulo, o que rendeu uma indicação para o premio Mies van der Rohe. Foi convidado para o seminário internacional do Colégio de Arquitetos de Málaga, Espanha, entre outros.

Famoso internacionalmente e alvo de muitos prêmios, Paulo Mendes da Rocha ganhou nos últimos anos destaque na arquitetura brasileira contemporânea e com isso foi ganhador, no ano de 2006, do Premio Pritzker, o mais importante da arquitetura mundial.

O júri acreditava que os projetos de Paulo Mendes da Rocha faziam com que a espaço e a paisagem se preocupassem com as necessidades dos seres humanos e também as sociais. O único brasileiro a ganhar outro deste premio foi Oscar Niemeyer, em 1988.

Obras de Paulo Mendes da Rocha

Entre os projetos de destaque de Paulo Mendes da Rocha, estão o prédio da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, os edifícios do Clube Atlético Paulistano em São Paulo, o Pavilhão Brasileiro da Feira Internacional de Osaka, Japão, o Centro Cultural e de Convenções de Campos do Jordão, o Museu Brasileiro da Escultura (MUBE), a reurbanização da Praça do Patriarca e do pórtico para a entrada da Galeria Prestes Maia, a reforma e modernização da Pinacoteca, em São Paulo também, o restauro da Oca no Parque do Ibirapuera, entre outros.

Seus colegas acreditam que seu trabalha está a frente de seu tempo e que refinam a arquitetura paulista, integrando todos os fatores em um só, sempre havendo uma preocupação relevante: a integração do espaço social com o espaço ambiental. Para Paulo Mendes da Rocha, isso significa o prazer de se comunicar em meio à diversidade cultural.

Próximas campanhas