Manekineko

Manekineko

Compartilhe

WESTWING NA MÍDIA:
Quer saber mais? Leia nosso guia!

Guia Westwing paraManekineko

Não, você não leu errado! Um manekineko existe e certamente você já se deparou com um. Esse é o nome dado àqueles simpáticos gatinhos japoneses que adornam casas e estabelecimentos comerciais não só do Japão, mas de todo o mundo. Dito como amuleto, o manekineko é usado com um objeto decorativo gracioso e que combina com qualquer tipo de décor, além de garantir sorte aos que acreditam em sua lenda e no poder esotérico que transmite.

Pequeno, médio, grande ou com dimensões quase que em tamanho real, o manekineko pode ser colocado sobre móveis, balcões, beirais de janela ou chão, assumindo um caráter estético e protetor. Quanto à sua forma, o manekineko tradicional é fabricado em cerâmica, pintado de branco ou dourado, com uma coleira vermelha e um sininho, uma das patas levantada e outra segurando um koban. Você gosta ou quer ter um manekineko em casa? Então, aprenda mais sobre essa peça singular com o Westwing!

A História do Manekineko

Manekineko ou Gato da Sorte, que em sua tradução literal significa “gato que acena”, é uma escultura japonesa super comum no continente asiático e que ganhou popularidade ainda nos períodos Edo e Meiji – entre os anos 1868 e 1912 –, especialmente nas publicações e comércios do Japão, já que o formato do gato representa que o animal faz gestos com a pata como se fossem um convite ou aceno, ou seja, atraíam clientes.

A história do manekineko inclui duas lendas principais; a primeira foi contada no templo japonês Goutokuji no século XVI e relata o conto de um nobre supostamente salvo por uma gata: após abrigar-se da chuva debaixo de uma árvore próxima ao Templo Goutokuji, o homem percebeu que a gatinha acenava para ele. Curioso, aproximou-se do animal, quando um raio atingiu a árvore em que ele estava. Após o ocorrido, o nobre doou toda a sua fortuna ao templo, passou a frequentá-lo com a família e mandou esculpir uma estátua da gata.

Manekineko

A segunda lenda do manekineko conta a história de uma anciã que, diante de uma situação financeira precária, decidiu doar seu gatinho de estimação. Inconsolável, a idosa rogou ajuda aos deuses e adormeceu, sonhando com seu gato dizendo: “Molde a minha imagem e semelhança em barro que lhe trará muita sorte!”. No dia seguinte, a senhora cumpriu o pedido e, enquanto moldava a estátua, viu seu gatinho “lavar” a cara com a pata e decidiu reproduzir a imagem. A partir de então, todos passaram a comprar seus manekinekos e a anciã nunca mais enfrentou dificuldades.

O que Representa um Manekineko?

Para os orientais, um manekineko com a pata direita levantada serve para atrair prosperidade – alcançada com o koban preso a ele, uma moeda de ouro própria do período Edo –, já com a pata esquerda erguida é usado para aproximar clientes. Independentemente da forma, versão e tamanho, a crença em torno de um manekineko é de uma peça que serve como um poderoso talismã para proteção e boa sorte de quem o tem. A lenda do manekineko também leva em conta a altura com que as patas foram erguidas: quanto mais altas, maior será a sorte e o tempo que a felicidade durará na vida da pessoa.

Usando o Manekineko na Decoração

Seja para o décor de casa ou de estabelecimentos comerciais, um manekineko é geralmente uma peça decorativa discreta, delicada e neutra, podendo fazer parte de qualquer ambiente. Segundo a teoria japonesa, o lugar ideal para se usar um manekineko, tanto para adornar quanto proteger, é a entrada de casa.

Especialmente para a decoração, o objeto pode ter seu aspecto artesanal e simples, feito de cerâmica ou porcelana e pintado à mão, ou apresentar versões tecnológicas e modernas, como o modelo de manekineko elétrico, à pilha ou com funcionamento acionado por energia solar, todos com movimentos da pata para frente e para trás. Além da forma de um gatinho ou dois colados, alguns tipos de manekineko também podem ser usados como porta-chaves, aromatizadores de ambiente e cofrinhos.

Westwing: O Extraordinário Mundo da Sua Casa!

Próximas campanhas