Judson Beaumont

Qual criança não adora desenhos animados? Quem nunca sonhou com um mundo incrível em que tudo é possível? Como preservar o espírito divertido e mágico dos tempos da infância durante a vida adulta? Judson Beaumont conseguiu cultivar a essência da imaginação fazendo o que mais gosta: design. Seus móveis são lúdicos, trazem referências aos desenhos animados, parecem estar em movimento e conseguem cativar ao primeiro olhar. Saiba mais sobre este designer canadense e confira a entrevista exclusiva que ele deu para o Westwing!

Judson Beaumont

Ideias materializadas

Nascido em 1960, Judson Beaumont estudou na Universidade Capilano e complementou sua formação no Instituto de Emily Carr of Art + Design. Formou-se no departamento 3D em 1985 e, no mesmo ano, fundou a Straight Line Design, estúdio que vem conquistando o mundo por conta do espírito criativo e a liberdade produtiva. Com o decorrer dos anos, ele aprendeu a “usar” sua imaginação e passou a tornar tudo o que pensava em algo tangível. O primeiro passo é colocar as ideias no papel. Depois disso, há uma observação de como conceber os objetos, além de uma chance de descobrir variações do conceito inicial.

Guarda roupa

A escola de artes ajudou a entender que dá para fugir dos padrões comuns sem se preocupar com pré-julgamentos. Já na primeira aula de escultura, seu professor o incentivou a fazer simplesmente o que sentisse vontade. “A partir daí, nunca mais olhei para as coisas do mesmo jeito. Eu tinha um novo foco: de desenhar e construir diferente. Tudo começou com formas minimalistas que, vagarosamente, se transformavam em um móvel funcional. Minhas peças no começo de carreira eram bem simples, mas conforme eu fui ganhando confiança, mais únicas elas ficavam”, ele conta.

Mesa lúdica

Escapar do óbvio e desafiar as regras é o que realmente motiva o designer. Sua paixão é o diferente, o questionamento, a ultrapassagem dos limites. Isso faz com que ele sempre procure novos jeitos de fazer as pessoas perguntarem sobre os objetos que lhe cercam e, ao mesmo tempo, desenvolva o inédito, o inspirador e o funcionalista.

Mesa de centro fantástica

Sua empresa Straigh Line Design atua em Vancouver há 25 anos e propõe: design personalizado, foco em qualidade e distância da produção em massa. A equipe com oito artesãos é capaz de customizar móveis e desenvolver produtos para projetos de instituições públicas e exposições infantis. Vale destacar um ponto: várias peças já foram doadas para a Arts Umbrella, AIDS Vancouver e o Hospital para Crianças de British Columbia, entre outras.

Gavetas divertidas

“Tudo começa com um pedaço de madeira”

O Westwing queria entender como tudo começou. Por isso, fizemos contato com o profissional e tivemos uma resposta imediata e muito atenciosa. Confira trechos da entrevista!

Quais são as suas maiores inspirações e referências?

“Walt Disney é uma grande inspiração para mim. Ele é um animador, escritor e diretor fantástico. Eu também encontro inspiração na arquitetura. Para citar alguns nomes: Frank Gehry, Norman Foster e Tadao Ando. Admiro ainda os pintores e ilustradores — o fato deles poderem adicionar a qualidade do efeito 3D em uma tela plana sempre me surpreende.”

Como veio a primeira ideia para fazer os móveis que lembram desenhos animados?

“Quando criança eu adorava desenhos, os filmes da Warner Brothers, Disney e Dr. Seuss. A ideia de criar móveis com animações veio quando eu vi a cidade de Uma cilada para Roger Rabbit. Tem uma cena específica em que os prédios da cidade túmulo ganham vida e personalidade própria. Eu pensei que isso poderia ser incrível para inovar no efeito de mobiliários. Por exemplo, fiz uma cômoda cenoura que teve como inspiração o Pernalonga, é claro.”

Estante animada
Decoração fantástica

De que maneira você percebe a reação do público em relação aos seus móveis?

“Eu realmente captei a reação do público quando comecei a fazer móveis curvos. O primeiro que foi o gabinete da Jessie. Conhecendo e vendo a reação positiva das pessoas, eu sabia que tinha desenvolvido uma linguagem nova em que cada indivíduo poderia ver a diversão e funcionalidade das minhas peças.”

Existem materiais, técnicas ou tratamentos específicos para gerar esta sensação de que os móveis estão em movimento?

“Tudo o que eu crio começa com um pedaço de madeira. Uso folhas finas de madeira para criar as dobras e elementos curvilíneos. Também aproveito a fibra de vidro e costumo esculpir várias formas. Então há uma variedade de coisas que eu utilizo, depende do projeto. Gosto ainda de pegar grandes pedaços de madeira e cortá-las em formatos inusitados.”

Decoração infantil
Poltrona gigante

Para o futuro, Judson diz que gostaria de colaborar e trabalhar mais com os designers de interiores, assim como arquitetos em grandes projetos. Ele também quer atuar em instalações públicas, hospitais infantis, livrarias e creches.

Priscila Silvério

Já conhece o nosso App?

Baixe agora
Baixe agora