Zaha Hadid

 
 
 
© 2012 Westwing / Fotos: Livro Coleção Folha Grandes Arquitetos, vl. 13 – Zaha Hadid

Zaha HadidProjetos e inspirações

 
Zaha Hadid (1) iniciou sua carreira nos anos 80 e foi a primeira mulher a receber o Pritzker Prize, praticamente o Nobel da arquitetura. Nascida no Iraque, hoje a arquiteta mora em Londres e segue surpreendendo com projetos como o Centro Aquático, feito para as próximas Olímpiadas.
A trajetória de Zaha Hadid é marcada por fugir dos padrões e seguir uma linha desconstrutivista. Ou seja, a não linearidade prevalece, assim como movimentos marcantes e formas ousadas. O movimento moderno também faz parte de suas influências. Interação, imaterialidade, elementos opostos, experimentação e criatividade, são algumas das características que denotam algumas de suas inovações. (2)
Um trabalho de destaque é Hotel Puerta America, localizado em Madri. (3) Formas sinuosas, liquidez e material termoplástico são alguns pontos que fazem este espaço ganhar caráter dinâmico. Fundindo formas e texturas e ultrapassando os limites do convencional, a arquiteta criou um ambiente único e atraente.
Ainda na Europa, podemos citar um projeto inspirado em conceitos futuristas. É o Phaeno, um Museu interativo de Ciência situado na Alemanha. (4) O centro é de última geração e conta com uma espécie de cratera em seu interior. Através dela, é possível ter uma visão de todos os níveis internos e áreas de exposições. Diferente dos ambientes fechados, este conta com aberturas. Ou seja, há rasgos na laje e nas paredes que permitem uma visualização muito mais ampla do lugar. As paredes possuem ainda buracos cobertos por vidros, que conectam o interior com o exterior de uma maneira renovadora.
Também na Alemanha temos o Edifício Central da BMW (5). A proposta de Zaha Hadid foi mudar a concepção de escritório e reinterpretar o que era tradicional. A arquiteta dizimou o edifício conforme as funções que este teria que atender. Ali não há estruturas divisórias para que os funcionários interajam uns com os outros. E, para um diálogo ainda maior, há sistemas de circulação que integram os espaços. Mais que isso, com uma fachada inteiramente de vidro é possível ter uma relação entre o interior e exterior. Tudo isto ofereceu leveza e transparência, tendo como resultado final um estabelecimento contemporâneo e funcional.
Já nos Estados Unidos, podemos ressaltar o Rosenthal Center for Contemporany Arts (6). A ideia da arquiteta foi dar continuidade entre a área interna e externa. Para isto, as paredes no fundo do prédio ultrapassam o limite da calçada. Já a fachada conta com um jogo de volumes que gera um visual incrível. Dentro do local Zaha Hadid formou galerias como se tivessem partido de um enorme bloco de concreto. Ela foi esculpindo e alcançou uma volumetria dinâmica, passando do denso ao leve e alcançando o efeito visual de um quebra-cabeça. O espaço não conta com exposições permanentes e, por isto, é ideal para deixar a criatividade fluir.
Há ainda muitas outras criações que se realçam pela proposta e visão única de Zaha Hadid. Com envolvimento em projetos diversificados, a arquiteta ainda tem muito a oferecer com seu dinamismo e espírito inventivo. (7)

Teresa Mayer

Já conhece o nosso App?

Baixe agora
Baixe agora