Escultura

Escultura

Compartilhe

WESTWING NA MÍDIA:
Quer saber mais? Leia nosso guia!

Guia Westwing paraEscultura

Nos mais diversos museus espalhados pelo mundo, a escultura é uma arte que sempre se destaca e que chama a atenção dos visitantes. Porém, engana-se quem pensa que esse tipo de obra é exclusividade de museus e galerias. A escultura pode e deve ser objeto de decoração em ambientes que pretendem ser sofisticados e modernos. De mármore ou cerâmica, abstrata ou desenhada, ela é ideal para ser colocada sobre mesas de centro, prateleiras, estantes e hall de entrada.

A escultura não precisa ser um objeto decorativo único e isolado de outros. Atualmente, a tendência é usá-la como base de mesas. Nesse tipo de peça a escultura normalmente é feita com algum tipo de pedra (mármore, calcária, granito) e leva uma placa de vidro sobre si, que servirá como a tampa da mesa. Entre tantas opções, confira nossas dicas para inspirar ainda mais a decoração da sua casa.

A escultura em diversas culturas

A escultura está presente em diversas culturas desde o início das civilizações como forma de manifestação artística. Materiais como mármore, bronze, pedras, argila, cera e madeira são usados desde a antiguidade até os dias de hoje pelo artesão para compor sua obra.

Escultura chinesa

A China possui grande tradição na arte de esculpir. Suas primeiras esculturas são datadas do século X a.C.. Uma das mais famosas é o “Exército de terracota”, também conhecido como “Guerreiros de Xian”. Essa escultura representa o exército do primeiro imperador da China, Qin Shi Huang, e foi construída para ser posta ao lado de seu corpo enterrado para protegê-lo na vida após a morte.

Escultura africana

Na África, a escultura também é uma herança cultural. Nessa região o material mais utilizado são as madeiras nobres, como o ébano. A escultura costuma representar divindades antropomórficas e máscaras de rituais.

Escultura indiana

A Índia é outro exemplo de tradição na arte escultural. Feita com pedra e bronze, a escultura começou a se popularizar na região através do hinduísmo e do budismo. Aspectos de ambas as religiões começaram a ser esculpidos, principalmente a icônica figura de Buda.

Escultura europeia

As esculturas europeias são uma das mais conhecidas. Tal reconhecimento não é à toa, pois a origem do esculpir ocidental originou-se na Grécia, onde obras monumentais, esculpidas no mármore e extremamente ricas em detalhes começaram a ser feitas e a entrar para a história da arte. Nomes como Rodin e Michelangelo ficaram famosos em todo o mundo graças a suas excelentes obras esculturais.

Escultura brasileira

O Brasil não fica atrás quando o assunto é escultura. Um dos maiores escultores barrocos do mundo é brasileiro. Afinal, quem nunca ouviu falar do Aleijadinho? Mas nossa importância na arte escultural não para por aí. A história da escultura brasileira começou com os índios, antes mesmo da colonização portuguesa no país, e se estende até os dias atuais, tendo em sua tradição nomes como Victor Brecheret e Lasar Segall.

Esculturas pela casa: Qual a melhor para cada tipo de cômodo?

A escultura é daqueles tipos de decoração que se adequam a qualquer ambiente. Mas isso não significa que alguns cuidados estéticos não precisam ser levados em consideração. O mais fundamental é que a escultura seja proporcional ao espaço em que será colocada.
Em ambientes menores como o banheiro, esculturas de parede são os modelos mais indicados, pois não atrapalham a movimentação e proporcionam requinte ao cômodo. Esse modelo ainda cai bem na cozinha, principalmente se o objeto for esculpido em aço.

Em contrapartida, nos espaços mais amplos, como a sala de estar, aposte na escultura de chão. Modelos abstratos, geométricos e animalescos dão um tom bastante moderno a um dos ambientes mais frequentados da casa. Para os quartos, invista em esculturas que possam ser colocadas sobre estantes e prateleiras, proporcionando um ambiente mais charmoso.

Como limpar a escultura?

Já não restam mais dúvidas de como a escultura pode acrescentar na decoração da casa. Mas e na hora de limpa-la? Afinal, uma peça tão delicada requer algumas atenções.

A maneira mais simples de limpar as obras esculturais sem danifica-las é, antes de tudo, passar um pano limpo e seco sobre toda a superfície. Se houver muitos detalhes na peça, use uma escova de dente limpa para alcançar os lugares que o pano não pode chegar.
Se a escultura for pequena, mergulhe-a em um recipiente com água morna e sabão neutro. Caso ela seja muito grande para isso, molhe o pano nesse recipiente e passe-o por todo o esculpido. Não se esqueça de secar a escultura depois desse processo!

Próximas campanhas