Compartilhe

entrevista AR-BR

Especialista em comportamento animal, Alexandre Rossi começou sua profissão muito cedo. Após descobrir o talento ao ensinar truques para peixes em seu aquário, aos seis anos de idade, Rossi começou a se envolver com outras espécies, como coelhos e hamsters. Alexandre Rossi trabalhou e desenvolveu pesquisas em zoológicos na Irlanda, Portugal e África do Sul. Possui experiência no adestramento de diferentes animais, como elefantes e cangurus.

Formado em Zootecnia, graduado em Medicina Veterinária e com mestrado em Psicologia, Rossi é membro do Conselho de Bem-Estar Animal. Hoje divide seu trabalho entre sua empresa, a Cão Cidadão, especializada em adestramento em domicílio e consultas de comportamento, e seus programas de televisão e rádio. Atualmente comanda o quadro Desafio Pet, no SBT, o programa Missão Pet, no National Geographic e o É o Bicho!, na rádio Band News FM.

– Westwing: Qual a importância dos petiscos no comportamento dos cães?

Alexandre: Todo condicionamento, ou seja, o que o cão está aprendendo, ocorre em resposta a estímulos. No Adestramento Inteligente, utilizamos estímulos positivos ao ensinar, recompensando o cão pelo comportamento correto. É aí que entram os petiscos, como uma forma de recompensa quando o cão acerta o que queremos. Dessa forma, ele sempre fica motivado a acertar, além de ter prazer em aprender.

– Westwing: Qual a forma correta de dar petiscos para os cachorros?

Alexandre: O ideal é que os petiscos sejam cortados em pedaços bem pequenos, o suficiente para que o cão fique interessado. Dessa forma, podemos repetir o comportamento várias vezes, sem correr o risco de o cão comer demais ou perder o interesse pelo alimento. Devemos sempre controlar a quantidade de petiscos para não exagerar e o cão não ganhar peso. O recomendado é que não ultrapasse 10% da recomendação diária de alimento para aquele animal.

– Westwing: Você costuma usar o petisco somente como forma de recompensa, ou recomenda dá-lo para os animais no dia-a-dia também?

Alexandre: De modo geral, quanto menos o cão ganhar aquele alimento, mais ele estará interessado e disposto a obedecer por ele. Reserve os petiscos que seu cão mais gosta para recompensar os bons comportamentos e utilizar nos treinos. Porém, alguns petiscos podem ser dados para o animal no dia-a-dia, como uma forma de enriquecimento, para que ele brinque e se distraia sozinho, como ossos de couro. Mesmo nesse caso, eles podem ser oferecidos ao animal após ele obedecer a um comando, por exemplo.

– Westwing: Existem alimentos que são proibidos para os que irão cozinhar para seus cães?

Alexandre: Sim, existem vários alimentos tóxicos para cães, que são comuns para nós, como chocolate, macadâmia e uva. É muito importante conversar com o veterinário do seu cachorro, para saber quais alimentos podem ser oferecidos e qual é a forma de preparo.

banner-download-BR

Estas ofertas começam hoje

Próximas campanhas